Pokémon Go, um fenômeno sem par

No livro “De Zero a Um. O que Aprender Sobre Empreendedorismo com o Vale do Silício”, Peter Thiel, um dos co-fundadores do Paypal, fala que o próximo Zuckerberg*, não criará uma rede social, que os próximos Larry Page e Sergey Brin**, não criarão um buscador.

ingress

Com isto ele quer dizer que para se destacar de forma ímpar, é necessário criar algo único. Claro, este tipo de coisa nem sempre acontece na primeira tentativa, vejamos o caso da Niantic, uma empresa fundada em 2010, que em 2012 lançou o Ingress, um jogo de realidade aumentada ‘massivo’, ou seja, feito para múltiplos jogadores.

Pokémon Go, de pegadinha à megassucesso

Acontece que entre os que gostaram muito de Ingress, estava Tsunekazu Ishihara, um dos líderes da The Pokémon Company, uma subsidiária da Nintendo. Em 2014 ele e o ex-presidente da Nintendo Satoru Iwata desenvolveram um conceito em torno da realidade aumentada do jogo Ingress, que seria o de espalhar Pokémons virtuais, no jogo, como parte de uma brincadeira de primeiro de abril.

Este é o vídeo promo, lançado no dia 31/03/2014.

Neste momento ambas as empresas, Niantic e Nintendo, viram que tinham um sucesso em potencial nas mãos, nascia ali a decisão de criar o Pokémon Go.

Números colossais

O sucesso do Pokémon Go é algo inédito. Lançado em 6/7/16 nos EUA, o jogo precisou de apenas cinco dias para amealhar mais de seis milhões de usuários, apenas no sistema Android, no país, e tornou-se o quinto aplicativo mais popular da plataforma. Dez dias depois de lançado ele já tinha incríveis 26 milhões de usuários nos EUA, tornando-se o aplicativo mais popular do Android no país, deixando o Facebook Messenger e seus 21 milhões de usuários na plataforma para trás. Em 15/07/16, o jogo havia sido instalado em 10,81%, e era usado diariamente em 5,92% de todos os aparelhos Android do país.

O que é ainda mais impressionante, é que o Pokémon Go não é monstruoso apenas de quantidade de instalações, mas também no tempo médio de uso. Enquanto os usuários de redes sociais como Facebook e Twitter não chegam a passar 30 minutos conectados a elas por dia, os usuários de Pokémon Go ficam em média 43 minutos por dia!

O sucesso foi tão grande que a Niantic precisou readequar seu cronograma de lançamento, porque os servidores do jogo não estavam suportando a carga inicial, e em poucos dias a Nintendo valorizou-se na bolsa em mais de US$7,5 bilhões!!

Ahhh, e como você precisa se locomover em ambientes públicos para capturar Pokémons, veja no vídeo como funciona o jogo, ele ainda faz bem a saúde! Existe até o caso de uma empresa nos EUA, que está ‘forçando’ seus funcionários a jogarem Pokémon Go depois do almoço, à título de ginástica laboral.

CUIDADO NECESSÁRIO

Quando este pode foi escrito, em 20/07/16, o jogo ainda não havia sido lançado oficialmente no Brasil, e ainda não há uma previsão oficial. Mas alguns jogadores brasileiros vinham baixando APKs*** de Android para instalar manualmente, mas é altamente recomendado que não se faça isto, existem alguns deles que trazem a reboque malwares que abrem o aparelho a ataques externos. Reforçando: aguardem o lançamento oficial, e não se rendam aos ‘atalhos’…

Aliás, mesmo na Play Store existem alguns aplicativos mal intencionados, que conseguiram ‘furar’ o bloqueio da loja e se apresentar como variantes não oficiais do jogo, nós recomendamos fortemente que vocês não o baixem nada, até que a versão oficial da Niantic esteja disponível.

Neste post falamos em números de instalação em Android porque estão mais disponíveis, mas o jogo existe também para iOS, e está disponível nos seguintes países (em 20/07/2016): EUA, Austrália, Nova Zelândia, Canadá e grande parte da Europa.

 

*Mark Zuckerberg, fundador do Facebook.
** Sergey Brin e Larry Page, fundadores do Google.
*** APK, é o executável que permite instalar um aplicativo no sistema operacional Android.

GigaDSL e novos chips WiFi, a próxima geração de banda larga

Venhamos e convenhamos, velocidade para banda larga nunca é demais. Não importa quanto temos hoje, um pouco mais, ou muito mais, é SEMPRE o ideal.

A Qualcomm divulgou há alguns dias, que está lançando dois novos chips, o primeiro se chama GigaDSL, e permitirá que companhias telefônicas atualizem suas estruturas existentes, que transitam dados por ‘par metálico’ (fios telefônicos) a uma velocidade máxima, teórica, de 350mbps na tecnologia para 1Gbps como diz o novo nome.

Qualcomm

Claro, para isso as operadoras precisam estar dispostas a investir, o que, em um mercado pouco competitivo como o nosso, não é algo muito normal de vermos.

Mas se por um lado o custo de trânsito de dados por meio físico é muito caro, principalmente para a distribuição na chamada ‘última milha’, entre os armários de distribuição e o cliente final, é na tecnologia sem fio que vejo o futuro de uma internet mais rápida e acessível.

WiFi

Mas até chegarmos ao ponto que isso seja possível, ainda demora um pouco, mas quando as TVs analógicas forem proscritas, e seus espectros de banda reutilizados, poderemos ver algo neste sentido.

Enquanto isso, vamos nos virando com nossos roteadores residências, que estão cada vez mais populares, ao ponto de que quem mora em apartamentos já começa a a ter eventuais dificuldades com interferências, e baixa velocidade em suas redes sem fios, a Qualcomm apresentou um novo chip com a tecnologia 802.11ac tri-radio, que, combinando dois rádios de 5ghz, e um de 2,4ghz, pode atingir velocidades de até 3Gbps em redes WiFi, e como é capaz de operar em muitos mais canais que o normal, garante sempre o melhor trânsito de dados possíveis, especialmente para dispositivos móveis.

Excelente para quem tem servidor de mídia em casa! 😉

Inteligência artificial, quando a ficção e a realidade se misturam

Você lembra do filme Matrix, aquele em que a imensa maioria dos humanos vivem dentro de uma simulação, tendo seus corpos reais estocados em capsulas e usados como ‘baterias biológias’, para o computador que cria o mundo virtual?

Bem, um dos empreendedores mais ‘afiados’ da atualidade, Elon Musk (já falamos dele aqui), disse acreditar, durante uma conferência, que há apenas uma chance em um bilhão de não estarmos vivendo dentro de uma simulação.

Geralmente eu encararia isto como uma piada. Mas ele não fala isso à toa.

Ao explicar seu pensamento, ele utiliza como argumento o desenvolvimento incrivelmente rápido dos vídeo games, veja, em um espaço de apenas quarenta anos, passamos de tracinhos e quadrinhos do ‘Pong’, para jogos criados com impressionante qualidade gráfica, e computadores extremamente poderosos, como o IBM Watson, capaz de fazer diagnósticos de doenças humanas com incrível precisão, e coisas como o Blackbird.

Mas veja o vídeo primeiro, depois termine de ler o texto! Ative as legendas e mande traduzir para português, ou apenas assista e fique maravilhado.

Entendeu? Chegou ao ponto em que não precisamos mais usar um carro par fazer o vídeo de um carro, um robô que pode ser configurado para reproduzir a geometria de virtualmente qualquer carro, e pode, a posterior, receber a ‘pele’ do carro que quer reproduzir.

Apesar de eu não ter a mesma convicção de Musk sobre estarmos vivendo em uma simulação, confesso que o ‘filosofar’ em torno da possibilidade de sermos todos inteligências artificiais, é algo intrigante.

A Boston Dynamics não cansa de nos mostrar o futuro com seus robôs quadrúpedes.

Mais prova que vivemos no limite entre a realidade e a ficção, ainda neste campo da inteligência artificial, é que um professor da prestigiada Universidade de Oxford, na Inglaterra, já pôs em discussão a possibilidade de as inteligências artificiais chegarem a um ponto de avanço, em que precisemos definir seus direitos fundamentais, algo como o ‘direitos humanos de máquinas’…

Meus amigos, que era para se viver!

Zenbo, o robô ‘mordomo’ da Asus

Não sei se você assistiu aos Jetsons, um desenho animado da Hanna Barbera, que mostrava um futuro em que veículos voadores transformavam-se em valises, todos se moviam por esteiras, e tudo em casa era gerenciado por Rose, uma funcionária cibernética, que tomava conta de tudo.

Casa automatizadas já são uma realidade já há algum tempo, para poucos por conta do preço, é verdade, mas empresas especializadas são capazes de automatizar, ou centralizar o controle de várias funcionalidades em um tablet, como a ativação de condicionadores de ar, controle de janelas, cortinas e iluminação, e até mesmo som ambiente integrado a uma central de mídia.

No exterior A Amazon oferece o Echo, e o Google oferece o Home, gadgets para uso residencial que são capazes de entender ordens faladas, dar respostas, e controlar equipamentos automatizados, e no caso do Echo, fazer compras na loja online, mas a Asus foi um passo adiante (em direção à Rose).

O Zenbo é basicamente um robô mordomo, dotado de inteligência artificial (rústica, mas ainda assim inteligente). Para começar o pequeno robô pode mover-se dentro de casa, o que é por si uma vantagem, já que ele pode ir até você receber uma ordem, e o mais importante, quando você estiver fora de casa, ele pode ser controlado remotamente, o que lhe permite ver o que está havendo em casa.

Outras vantagens do pequeno robô é que ele pode até mesmo entreter crianças, cantando, dançando, contando histórias e até mesmo jogando com elas, e ainda funciona como um assistente pessoal, para que os mais esquecidos se lembrem de seus compromissos, ou até mesmo de tomar remédio.

O preço que está sendo praticado pela Asus no exterior é de US$599 ainda não há previsão da chegada do gadget ao Brasil.

Alienware – o sonho de todo gamer!

Em meados dos anos 90, o design de computadores pessoais rústico, sem graça. Entre as poucas escolhas estava a de escolher entre um gabinete que ficasse em pé, ou deitado, e no máximo optar pela cor preta ou cinza claro, para o conjunto, e assim mesmo em algumas poucas marcas.

Foi neste cenário que surgiu a Alienware, uma empresa que decidiu oferecer notebooks e desktops, com hardware e design qualidade superior, para um público que está disposto a investir no que há de melhor no mercado.

Alienware

No começo dos anos 2000, a Dell começou a flertar com a empresa, e em 2006, a compra foi finalmente concretizada. Tal como outras empresas, compradas pelos talentos que nutriram, a Alienware permaneceu com autonomia para o desenvolvimento de produtos, e passou a contar com o poder de mercado e logística da Dell.

Em síntese, os micros Alienware são tudo de bom, sonho de qualquer gamer ou fanático por computação, e agora vocês podem encontrar notebooks da marca na Ibyte!

Os notebooks são lindos, e as configurações absolutamente insanas! Todos têm 1Tb de HD e a opção de 8Gb ou 16Gb de RAM, telas de 15 ou 17 polegadas, e placas gráficas NVidia GTX (965M ou 970M), dependendo do modelo).

Fiquem com as fotos!

O que anda acontecendo no mundo tecnológico #3

Apple Watch pode dominar metade do mercado este ano.

É impressionante o sucesso que o Apple Watch está fazendo. Ao contrário do iPhone que na prática reinventou, e dominou por anos, o mercado de telefonia móvel, o relógio da Apple chegou tarde para um mercado MUITO, mas MUITO mais fragmentado e cheio de grandes participantes tradicionais que àquele. E ao que tudo indica, vai dominar este mercado, de uma venda estimada de pouco mais de 28 milhões de relógios inteligentes este ano, o IDC, uma respeitada firma de pesquisa de mercado, acredita que a Apple possuirá uma fatia de quase 50% ao final do ano. A conferir.

Operadoras querem acabar na marra com a neutralidade da rede.

Existe um princípio fundamental na internet, que é o da neutralidade da rede, ou seja, os dados que viajam através de sua infraestrutura, não podem e não devem sofrer discriminação em razão do que esteja sendo transportado. Não importa se é uma obra de Shakespeare, um meme infantil, ou transação bancária, TUDO, absolutamente TUDO, tem que ser tratado de forma isonômica. Uma declaração de um executivo da Vivo, que disse que quem faz uso de plataformas de streaming, como Youtube e Netflix têm que pagar mais, é para fazer abrir, e bem os olhos. Vale a lembrança de que a Vivo comprou a GVT, e agora irá implementar franquias de consumo de dados na empresa.

Android Auto, a versão do sistema para carros, foi lançado oficialmente no Brasil.

Carros conectados são cada vez mais uma realidade, e a Google Inc. anunciou que seu sistema operacional passou a estar disponível em 18 países, inclusive o Brasil. O Android Auto é muito mais que simplesmente uma central de mídia, ele permite que smartphones sejam conectados através de si aos carros que equipam, e permitem a interação de apps no aparelho, com o veículo e vice-versa. Seu principal rival é o Apple CarPlay.

IA do Facebook ‘mostrará’ fotos a quem não pode ver

Existe todo um conjunto de normas de usabilidade na criação de conteúdo para web, criado para ajudar aqueles que não podem ver. São normas que permitem que programas chamados ‘leitores de tela’, permitam a quem tem a visão parcial ou completamente comprometida, ‘ouvir’ o que está na tela. Um dos pontos mais complicados para fazer algo que obedeça corretamente estes termos de usabilidade, é a descrição das imagens. Pois bem, na última versão de seu app para iOS, o Facebook fez um ‘gancho’ com um programa de inteligência artificial, que tenta reconhecer, e narrar para o usuário que usa leitor de tela, o que aparece em fotos. Ponto para o Facebook!

Um dos domínios mais antigos da internet, foi leiloado!

Quick.com, um domínio criado em 31 de agosto de 1987 foi o 85º domínio de interna a ser registrado! O domínio foi parte de um grande leilão com vários outros nomes considerados ‘premium’, dia 19 de abril passado em San Francisco, e foi arrematado pelo valor astronômico de US$299.000,00!! Além dele, vários outros domínios considerados ‘premium’ foram também vendidos, Blaze.com foi arrematado por US$253.000,00, snowboard.com arrematado por US$86.250,00 e sex.co por US$63.250,00!!

Duas curiosidades, o primeiro domínio a ser registrado, em 1985, foi symbolics.com e o domínio mais caro já vendido, pelo menos que se tenha notícia, foi mi.com, comprado pela fabricante chinesa de celulares Xiamoi por astronômicos US$3,6 milhões